NOVA GERAÇÃO DO VOLKSWAGEN JETTA FICA MAIS PERTO DA AUDI

Sedã quer abandonar a reputação de carro conservador e sem personalidade

Tudo novo. Pelo menos para o Volkswagen Jetta, que trocou tudo na nova geração. Do estilo insosso até a plataforma, que agora é compartilhada com o Golf. Para não dizer que o novo sedã aproveitou nada de seu antecessor, o motor 1.4 TSI de 150 cv e 25,5 kgfm foi mantido, mas há novidades também no conjunto de transmissões. Mas o principal é que para dar um bom salto em refinamento e tecnologia, o Jetta pegou elementos emprestado da Audi.


Design :- Para abandonar a reputação de sedã sem graça, especialmente no mercado norte-americano, a Volkswagen apostou forte em uma carro de linhas mais esportivas e dianteira robusta. Dá para ver de longe a nova grade cromada, cheia de vincos e integrada aos faróis. As luzes diurnas de led formam uma assinatura semelhante a presente no novo SUV T-Roc. A traseira também ficou mais curtinha, bem ao estilo fastback, adotado por todos os novos sedãs que querem acentuar o apelo esportivo. Quem desenhou as lanternas do novo Jetta bebeu da mesma fonte que o designer do nosso Virtus: as linhas do Audi A4. Esses três sedãs de categorias diferentes têm praticamente a mesma peça.


Arquitetura :- Como a maioria dos carros médios da Volkswagen, o novo Jetta agora é construído sobre a plataforma MQB, a mesma do Golf. Essa mudança permitiu ao sedã não apenas ter um espaço maior na cabine e crescer em outras dimensões, como também se tornar estruturalmente mais seguro. O entre-eixos agora mede 2,68 metros (antes era 2,65 m). Novo câmbio automático :- O motor 1.4 TSI de 150 cv e 18,7 kgfm foi mantido, mas, pela primeira vez no sedã, ele é combinado com câmbio automático de oito marchas - que por si já dá uma bela atualizada no conjunto. Mas isso não excluiu a opção da transmissão manual de seis marchas, que continuará a ser oferecido para o mercado norte-americano. Mais recheio tecnológico Mas os pacotes de tecnologias de conforto e assistência ao motorista deram um tremendo salto. Para começar, o sedã pode ser equipado com o cockpit digital, que no Brasil chegou a bordo do novo Polo. Esse painel de instrumentos digital e colorido pode ser personalizado de várias maneiras pelo motorista e ainda faz uma bela dobradinha com a central multimídia. O carro ainda conta com ar-condicionado de duas zonas, teto solar panorâmico, bancos com aquecimento e ventilação, sistema de som BeatsAudio de 400 watts. Vem para o Brasil ? Sim. O novo Jetta será importado do México entre o fim deste ano e começo de 2019. Mesmo que o sedã não venda tanto quanto os concorrente Honda Civic e Toyota Corolla, a Volkswagen não pode abrir mão de ter um produto interessante em um segmento tão importante.


Fonte de origem da notícia: AUTO ESPORTE


Deixe seu Comentário

Revendas

Siga a Levo